26 outubro 2014

Governador José Melo, do PROS, é reeleito no Amazonas

José Melo faz 'V' de vitória após votação no segundo turno (Foto: Divulgação/Assessoria)
O estado do Amazonas ganhará e muito com essa conquista do povo amazonense, juntos somos fortes, governador José Melo. Em Humaitá-AM obteve cerca de 10 mil votos.
José Melo, do PROS, foi reeleito neste domingo (26) governador do Amazonas para os próximos quatro anos. Com 99,95% das urnas apuradas, o candidato teve 55,55% dos votos válidos. (confira a apuração completa no estado). Contra 44,45% do outro.
Em coletiva de imprensa concedida logo após a divulgação do resultado, o governador reeleito falou sobre ações que devem ser realizadas após a campanha e agracedeu o apoio dos eleitores. "Nossa prioridade é educação. Vai ser a âncora do nosso governo. A partir dela, vamos enfrentar todos os problemas do estado", declarou Melo, acrescentando que os primeiros dias pós-campanha serão de descanso.  "Vou amanhã pegar um barco e passar quatro dias no Piauini, descansando para começarmos a formatar o novo governo", disse.
Derrotado por Melo, o ex-governador e atual Senador pelo Amazonas, Eduardo Braga (PDMB), teve 44,45% dos votos. Após a apuração, Braga cancelou a coletiva de imprensa marcada para a noite deste domingo. Em nota, assinada em conjunto com a candidata a vice Rebecca Garcia (PP), ele diz desejar "que os próximos anos sejam de paz". "Esperamos que os problemas que afligem nossa população, principalmente a crescente onda de violência, as filas nos hospitais, o déficit na educação e a crise na mobilidade urbana, sejam sanados de forma satisfatória", afirmou.
arte raio-X amazonas (Foto: Arte/G1 AM)
José Melo, de 68 anos, é economista formado pela Universidade Federal do Amazonas. Atual governador do Amazonas, ele foi deputado federal duas vezes, em 1994 e em 1998. Em 2002, elegeu-se deputado estadual. O candidato já atuou como delegado do Ministério da Educação e Cultura, foi secretário de Educação e Cultura e secretário Municipal de Educação. Também esteve à frente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazonas (Idam), da Secretaria de Estado de Coordenação do Interior (Seint) e da Sociedade de Navegação Portos e Hidrovias do Amazonas (SNPH). Em 2006, assumiu a Secretaria de Governo do Amazonas (Segov). Em abril de 2014, Melo assumiu o cargo de governador após a desincompatibilização de Omar Aziz, de quem era vice-governador.
Campanha
Durante toda a campanha do 1º turno, José Melo apareceu em segundo lugar nas pesquisas eleitorais divulgadas pela TV Amazonas. Levantamento feito pelo G1 mostrou que o atual governador obteve a maioria dos votos válidos em 25 cidades, incluindo Manaus - maior colégio eleitoral do estado, com 40,39% contra 37,89% do adversário.  O senador e ex-governador, Eduardo Braga, venceu a disputa eleitoral em 37 dos 62 municípios no primeiro turno.

Candidato à reeleição teve a maioria dos votos válidos, no segundo turno. Apuração dos votos no estado começou às 18 horas, horário local.


Fonte e Foto: G1

25 outubro 2014

Dilma chama Veja de criminosa e diz que revista 'não ficará impune' - Veja libera íntegra de reportagem em site e TSE censura propaganda de publicação

A publicação semanal da revista Veja enfureceu a candidata à reeleição Dilma Rousseff, que afirmou que não há provas sobre o que foi noticiado na revista e que pretende tomar providências legais.
Matéria da revista Veja liga Dilma e Lula diretamente ao centro do esquema de corrupção que se instalou na Petrobras
Matéria da revista Veja liga Dilma e Lula diretamente ao centro do esquema de corrupção que se instalou na Petrobras
Após não conseguir impedir a veiculação da notícia da revista Veja desta sexta-feira (24) junto ao Superior Tribunal Eleitoral (TSE) a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff foi até seu perfil oficial do Facebook reclamar sobre a publicação. "Veja fracassará no intento criminoso, ela não ficará impune”, escreveu em seu perfil.
Milhares de militantes virtuais apoiadores da presidente também reclamaram e iniciaram a publicação de uma série de imagens e ‘memes’ onde ironizavam a capa da revista, a quem chamaram de 'golpista'.
Em sua conta do Twitter, a presidente escreveu . "A Veja comete esta barbaridade contra mim e contra o presidente Lula sem apresentar a mínima prova. Isso é um absurdo, isso é um crime".
A publicação
publicação da revista semanal Veja noticia em sua capa o envolvimento da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula da Silva (ambos do PT) no esquema de corrupção e desvio de dinheiro da Petrobrás. A Veja afirma que os dois sabiam sobre a lavagem de dinheiro que beneficiava os três partidos de sustenção do governo: PMDB, PT E PP que era gerenciado pelo doleiro Alberto Youssef.
Sob o argumento de que a publicação desrespeita a legislação eleitoral, a campanha petista pediu para que a revista retirasse a publicação do site de VEJA e do perfil da revista no Facebook. O pedido foi protocolado pelo PT nesta sexta-feira (24). O ministro Admar Gonzaga negou o pedido.
"O dispositivo invocado para a suspensão da veiculação (§ 3º do art. 57-D da Lei nº 9.504/1997), consoante entendimento deste Tribunal Superior (Consulta nº 1000-75), não tem eficácia para o pleito de 2014", disse o ministro do TSE.

Veja libera íntegra de reportagem em site e TSE censura propaganda de publicação


Tribunal autorizou recurso proibindo que a editora Abril veiculasse qualquer tipo de publicidade sobre a reportagem de capa da revista. Neste sábado, Veja decidiu liberar o acesso à íntegra da matéria em seu site.

Matéria da revista Veja liga Dilma e Lula diretamente ao centro do esquema de corrupção que se instalou na Petrobras
Matéria da revista Veja liga Dilma e Lula diretamente ao centro do esquema de corrupção que se instalou na Petrobras
A pedido da campanha de Dilma Rousseff, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibiu a editora Abril, responsável por publicar a revista Veja, de fazer propaganda em qualquer meio de comunicação da reportagem de capa na qual a candidata à reeleição e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam conhecimento do esquema de corrupção da Petrobras. A reportagem é baseada, conforme a revista, em depoimento prestado pelo doleiro Alberto Youssef, na última terça-feira (21), no processo de delação premiada a que ele se submete para ter  direito à redução de pena. Neste sábado, Veja decidiu liberar o acesso à íntegra da matéria em seu site. 

Na opinião dos advogados de Dilma, a capa da revista tem “conteúdo ofensivo” à candidata à reeleição. Para a campanha petista, uma eventual publicidade do caso tem por objetivo único beneficiar a candidatura do tucano Aécio Neves. Em caso de descumprimento da liminar, os advogados de Dilma cobram a aplicação de multa de R$ 1 milhão por veiculação proibida.

De acordo com a campanha da presidente, a revista Veja antecipou sua edição em dois dias com a “nítida intenção de tumultuar a lisura do pleito eleitoral do próximo domingo (26)”. Em sua defesa, a Editora Abril sustenta que as liberdades de comunicação e de atividade econômica são direitos previstos na Constituição e “não podem ser sufocados por medidas de cunho censor sob a alegação de imaginária propaganda eleitoral”. 

Em parecer, o procurador-geral Eleitoral, Rodrigo Janot, manifestou-se a favor da campanha da Dilma. Para Janot, é necessário proibir a divulgação das publicidades sob pena de acarretar “prejuízo irreparável ao equilíbrio e (à) lisura do pleito”.

Em sua decisão, o ministro do TSE, Admar Gonzaga, que foi um dos advogados da campanha de Dilma em 2010, afirmou que há elementos para acatar o pedido liminar, suspendendo, até o julgamento do mérito, qualquer publicidade da editora sobre o assunto. Segundo ele, cabe ao TSE “velar pela preservação da isonomia entre os candidatos que disputam o pleito”.
"No caso, muito embora o periódico possa cuidar - em suas páginas - desse tema sensível, confirmando sua linha editorial de maior simpatia a uma das candidaturas postas, entendo que a transmissão dessa publicidade por meio de rádio, ou seja, de um serviço que é objeto de concessão pelo Poder Público e de grande penetração, desborda do seu elevado mister de informar, com liberdade, para convolar-se em publicidade eleitoral em favor de uma candidatura em detrimento de outra", afirmou o ministro, em decisão divulgada quase à meia noite desta sexta-feira (24).
Para a editora Abril, a ação da campanha de Dilma contra a revista pretende “impedir a imprensa de divulgar assunto que a sociedade tem o direito de tomar conhecimento”. “Não houve ilícito algum na matéria publicada na edição e tampouco nas propagandas de divulgação da revista, de modo que a representada (Editora Abril)  agiu no seu estrito direito constitucional", diz a revista, em sua defesa.
Fonte e Foto: A Crítica e Jornal A Crítica

23 outubro 2014

Presidenta Dilma Declara Guerra Contra a PM e a PEC 300/2008


Para Dilma Roussef, a greve da PM e as demais no país é plano nacional para forçar votação da PEC 300; afima que tribunais militares estaduais terão que ser instalados. Cortou o PRONASCI e barrou a PEC/300. Chega de PT no poder, chega de corrupção.

A presidente Dilma Rousseff determinará, nos próximos dias, que os Estados instalem tribunais militares em cada uma das suas corporações para agilizar o julgamento de infrações cometidas por policiais. 

Também pretende-se a manutenção da hierarquia e da ordem, por meio da obrigação do cumprimento às determinações dos comandantes. Caberá aos Executivos estaduais enviar aos deputados um projeto de lei que preveja a criação dos tribunais.
Há um movimento nacional em cadeia para pressionar o Congresso a votar e aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300, que pretende igualar os salários dos policiais em todo o Brasil de acordo com o pagamento realizado no Distrito Federal. Hoje, o menor vencimento, de um soldado de segunda classe, é de R$ 3.031,38, e o maior, de um coronel, chega a R$ 15.355,85.

 Os atos em prol da PEC 300 aconteceriam em cada uma das unidades federativas até chegar em Brasília. O que chamou a atenção de Dilma e da Força Nacional, na Bahia, foi o fato de que Marco Prisco, que lidera a Aspra – associação da PM que iniciou o movimento grevista, divide o comando das ações na Assembleia Legislativa com o sargento Queiroz, líder da paralisação dias antes no Ceará, e o sargento Joaes, representante do Rio Grande do Norte.
Todos são filiados à Associação Nacional dos Praças, que tem assento no Conselho Nacional de Segurança e recebe, portanto, recursos do próprio governo federal, por meio do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). 
Blog do Leão: Nossa !!! Srª Presidenta, os policiais militares e bombeiros só querem um reconhecimento a altura pelos seus serviços prestados à sociedade, só querem ser bem recompensados financeiramente,   estás reinvindicações são apenas para chamar a atenção dos senhores políticos que não dão a minima para nossa classe policial. Mas pelo visto é o contrário que vemos, há a inversão de valores, estamos sendo tratados como bandidos, como se estivessemos cometendo crimes. Que é isso ?? 

Todos neste país possuem reajuste salarial, principalmente vocês, que sequer perguntam ao povo se aprovam ou não. É amigos parece que os extraditados no passado, voltaram ao cenário político somente para vingar-se dos militares. Mas a justiça de Deus prevalecerá.

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (Partido dos Trabalhadores-RS), afirmou, que a paralisação dos policiais militares na Bahia não servirá de pressão para que a Câmara dos Deputados vote a PEC 300, proposta de emenda à Constituição que cria um piso salarial nacional para a categoria.

O projeto está em tramitação na Casa há mais de três anos, mas o governo teme que, caso ela seja aprovada, os estados e municípios não consigam arcar com a despesa extra e a repassem para o Executivo federal. "Eu acho que uma coisa não tem nada a ver com a outra [greve e votação da PEC 300].

Fonte e Foto: Capitão Assumção e Bahia Noticias

21 outubro 2014

José Melo - Governador !!! O Amazonas Merece o Melhor







Por que eleger José Melo ? O governador do POVO
A trajetória de José Melo é uma história de superação e sucesso através da educação e do trabalho. Com quarenta anos de vida pública, José Melo é chamado até hoje de professor, graças a sua grande paixão pela educação. Melo já fez muita coisa pelo Amazonas, mas ainda vai fazer muito mais.
 José Melo nasceu a 7 de setembro de 1946, em Eirunepé, na calha do rio Juruá. É o segundo dos seis filhos do seringueiro Jurandir e de Dona Osmarina. Desde pequeno, acostumou-se a acordar cedo para ajudar o pai no sustento da casa. Levantava-se de madrugada – um hábito que mantém até hoje. 
Em Eirunepé, não havia médicos nem escolas. Na busca de uma vida com mais oportunidades para os filhos, em 1957 a família se mudou para Manaus – numa viagem de barco que durou 45 dias.
 Em Manaus, a família lutou muito, para que os filhos estudassem e vencessem na vida. José Melo fazia sua parte: trabalhava de dia, vendendo frutas, e estudava de noite. Em 1967, entrou para a Faculdade de Economia da UFAM – e, enquanto estudava, deu aulas no colégio Estelita Tapajós. Formou-se economista, mas foi dando aulas que descobriu sua grande vocação: ser um educador. E, depois que a educação entrou em sua vida, não saiu mais.
Foi através da educação que José Melo ingressou na vida política – e, nesse encontro das águas, fez muita coisa pelo Amazonas. Começou em 1984, como servidor do Ministério do Ministério da Educação e Cultura. Pouco depois, graças a sua grande dedicação ao trabalho, foi convidado para ser Secretário Estadual de Educação.
 Era sua chance de fazer pela educação o que ela tinha feito por ele. José Melo ajudou a equipar as escolas do Estado, sobretudo as do interior – muitas delas não tinham sequer carteiras. Numa iniciativa pioneira, também garantiu uniforme e material escolar gratuitos para todos os estudantes da rede estadual. José Melo foi duas vezes Secretário de Educação do Estado e Secretário de Educação da Prefeitura de Manaus. Entre suas iniciativas, destaca-se o empenho em investir na formação superior dos professores, através de cursos de pós-graduação na UEA.
José Melo também teve destaque como parlamentar. Elegeu-se Deputado Federal em 1994, reelegendo-se quatro anos depois como o mais votado. Mas, como homem apaixonado pelo Amazonas, não ficou satisfeito com a vida em Brasília. De volta a Manaus, assumiu a Secretaria de Interior – o que lhe deu a oportunidade de conhecer todos os municípios do Estado, praticamente morando num barco durante dois anos.
Em 2002, elegeu-se Deputado Estadual – o terceiro mais votado daquele ano. Oito meses depois de sua posse, assumiu a Secretaria de Governo, e nela permaneceu até 2010, quando foi convidado para ser vice-governador, na chapa de Omar Aziz.
Além da votação recorde (mais de dois terços dos votos), o governo de José Melo e Omar Aziz se destacou por mudar o jeito de governar o Amazonas, colocando em primeiro lugar as pessoas – e não as grandes obras. Junto com Omar, José Melo teve a oportunidade de continuar a trabalhar pela educação: valorizou os professores, mais do que dobrou o número de escolas em tempo integral e levou o ensino mediado por tecnologia a milhares de alunos em todo o Estado.
Governador desde abril de 2014, sempre mostrando ser “bom de serviço”, José Melo é agora candidato à reeleição. Para continuar ajudando o Amazonas a avançar – para poder fazer muito mais por nossa gente.
No 1º turno José Melo conquistou 43,04% conquistando 707.151 votos válidos, contra 43,17% e 709.058 votos de seu adversário, indo para o 2º turno das Eleições no Amazonas, Melo então conquistou novos aliados e mais partidos o apoiam, tá na hora do povo amazonense escolher bem seu governador. 
Fonte e Foto: Melo90

Aécio Neves - Presidente 2014 !!! É o Melhor para o Brasil e o Amazonas


Por que votar em Aécio Neves ? 

Aécio Neves da Cunha, nascido (Belo Horizonte, em 10 de março de 1960), é um economista e político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). 

Foi o décimo sétimo governador de Minas Gerais entre 1º de janeiro de 2003 a 31 de março de 2010, sendo senador pelo mesmo estado. Aécio é o candidato de seu partido à presidência do Brasil na eleição de 2014.
Natural de Belo Horizonte, Aécio é graduado em economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. É neto do ex-presidente Tancredo Neves, com quem adquiriu suas primeiras experiências políticas. 

Em 1987, iniciou o seu primeiro mandato como deputado federal pelo estado de Minas Gerais, exercendo o cargo até 2002, totalizando quatro mandatos. Presidiu a Câmara dos Deputados no biênio de 2001-2002, renunciando ao cargo em dezembro de 2002. 
Aécio Neves, foi eleito governador de Minas Gerais em 2002. Como governador, teve bons índices de aprovação e foi reeleito na eleição de 2006, tendo desta vez a maior votação já registrada no estado. 

Renunciou ao cargo de governador em março de 2010, a fim de concorrer ao senado federal, sendo substituído pelo seu vice, Antônio Anastasia. Nas eleições de 2010, foi eleito o senador com a maior votação do Estado. Assumiu o cargo em 1º de fevereiro de 2011 e, em 2013, foi escolhido presidente nacional do PSDB. 

No 1º turno das Eleições 2014, o candidato Aécio Neves, obteve cerca de 34,8 milhões de votos ficando com 33,55% dos votos válidos, contra 43,2 milhões e 41,5% de  suas adversárias. Suas realizações estão disponíveis em seu site oficial, bem como suas propostas para a Segurança Pública.


Fonte e Foto: Wikipedia e Site Oficial Aécio Neves

14 outubro 2014

Concurso Agente da Polícia Federal 2014 – Inscrições abertas!

Inscrição para o Concurso de Agente da Polícia Federal
Foto: Comunicação Social da PF/MS
Já estão abertas as inscrições para o concurso de Agente da Polícia Federal 2014. São 600 vagas com exigência de nível superior em qualquer área. As provas serão aplicadas no dia 21 de dezembro, e além de disciplinas na área jurídica (Direito Penal, Administrativo, Processual Penal etc), também exige conhecimentos em Economia, Contabilidade e Redação. Clique aqui para fazer sua inscrição no site da Cespe/Unb!
Fonte e Foto: Abordagem Policial

As críticas à eleição de candidatos policiais

As críticas à eleição de policiais
As últimas eleições para deputado estadual e federal destacaram um fenômeno claro: cada vez mais policiais são eleitos para as assembléias legislativas nos estados e para a Câmara Federal. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, iniciam o mandato em 2015 cerca de 15 deputados federais e 40 deputados estaduais ex-policiais, que de algum modo atuarão discutindo polícia e segurança pública. É um sinal claro de que há uma mobilização entre os integrantes da categoria visando defender seus interesses.
Tão logo esse crescimento eleitoral dos policiais foi detectado, surgiram polêmicas, críticas e discursos manifestando medo sobre a orientação conservadora que esses deputados levariam ao debate político. Alguns questionam, desesperados, por que essas pessoas estão recebendo votação tão expressiva. Ao analisar esse contexto, desconsideram os policiais como trabalhadores, como carentes de representação política que lutem pelos seus anseios e necessidades.
Não há nada de negativo em policiais escolherem seus representantes. Quem reivindica polícias e policiais conscientes do seu papel democrático deveria entender que a participação ativa do cidadão policial no mais simbólico dos eventos da democracia, as eleições, é algo importantíssimo. Para efeito de curiosidade, apenas em 1988 isso foi possível para os praças das polícias militares, antes proibido por todas as demais constituições. Policiais que votam e são votados e têm direito à liberdade de expressão (ainda não garantida pela legislação brasileira aos PMs) são pressupostos básicos para que as polícias se compreendam cidadãs.
“CONSIDERAR QUE POLICIAIS ELEGEREM SEUS REPRESENTANTES É NEGATIVO É PREGAR POLÍCIAS MENOS DEMOCRÁTICAS”
Em grande parte das polícias brasileiras há um sentimento de abandono entre os policiais em relação às suas necessidades trabalhistas. Às vezes faltam condições básicas e segurança para a realização das missões. Como qualquer outro servidor público sabe, há limites institucionais até mesmo para fazer valer a lei, principalmente quando isso gera ônus financeiro para os governos. Neste cenário, não adianta apelar para a bondade dos patrões (os governos), mas sim ter maneiras efetivas de reivindicação e exposição dos problemas.
Uma pergunta: quais candidatos e candidatas não policiais se ocupam de maneira efetiva com essas questões?
Concordo plenamente com as críticas feitas a candidatos policiais que demagogicamente sustentam o discurso do “bandido bom é bandido morto”, que defendem políticas de segurança recheadas de repressão arbitrária e trágica (para os próprios policiais, inclusive). Mas ao mesmo tempo é bom lembrar que esse discurso tem sido vendido não apenas a policiais, mas também a outros setores da sociedade que defendem políticas de “mão dura” – e também votam nesses pregadores do faroeste.
Do ponto de vista democrático, não seria justificável negar o direito ao voto à população brasileira por eleger candidatos como Collor ou Sarney. Da mesma forma, boa parte dos futuros deputados policiais brasileiros não me representa, mas é democrático que a tropa os eleja. Considerar que policiais elegerem seus representantes é negativo é pregar polícias menos democráticas, e é da mesma orientação de quem critica os nordestinos por escolherem este ou aquele candidato.
Fonte e Foto: Abordagem Policial

06 outubro 2014

Platiny Soares - Eleito Deputado Estadual no Amazonas - Praças da PMAM nós Vencemos !




Quando falamos em renovação política, tratamos deste tema com excelência, onde o jovem revolucionário Platiny Soares Lopes (PV) nº 43.190, que venceu as eleições 2014 concorrendo como candidato à deputado estadual no Amazonas em 2014, tem uma bagagem invejável e que preocupa seus adversários, obteve a votação de 26.987 votos válidos, ficando na 10ª posição dos mais votados, em Humaitá-AM Platiny Soares obteve 698 votos.


Platiny Soares Lopes (PV) nº 43.190, possuía grandes chances de ser eleito por sua categoria, já confirmada em pesquisas, a categoria de Praças da PMAM, o tem como verdadeiro representante da classe, por ser corajoso, assumir responsabilidade e lutar por inúmeros benefícios para sua categoria, que aumentarão em breve.



O cidadão amazonense, então eleito deputado estadual Platiny Soares Lopes (PV) nº 43.190, apoiado pelos Praças, que confiam nele, onde esta classe depositou seus desejos, sonhos, pois queríamos vê-lo na ALEAM para nos representar e levar nossa voz na conquista dos objetivos, conte conosco Platiny. Abaixo segue a emoção de Platiny Soares, após a confirmação da vitória...


"Muito obrigado a todos os que acreditaram nessa luta, graças a todos vocês conseguimos vencer essa batalha. Não posso negar minha emoção neste momento. Estou sem palavras para expressar a explosão de sentimentos neste dia 05 de outubro. Prometo não decepcioná-los em meu mandato. Muito mudará e para melhor. Vamos juntos brigar por mais mudanças! Meu mandato pertence aos senhores e farei de tudo para valorizar todos os Praças da Policia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar bem como a sociedade."

Platiny Soares


JUNTOS SOMOS FORTES! 

Fonte e Foto: Seção de Comunicação Blog do Leão 

01 outubro 2014

Polícia Federal abre Concurso de Agente 2014

Concurso Polícia Federal 2014
Foto: Agência Brasil 

A Polícia Federal lançou o edital do concurso com 600 vagas de agente. As inscrições estarão abertas a partir do dia 6 de outubro no site da Cespe/Unb, organizadora do certame. 

A tendência é que a concorrência seja bastante acirrada, já que a PF acaba de conquistar o aumento salarial que leva seus agentes a ganhar mais de R$ 9.000 mil reais a partir de janeiro de 2015. Muitos policiais militares e civis costumam fazer esse tipo de concurso, visando mudar de carreira.seguro viagem eua

Fonte e Foto: Abordagem Policial

19 setembro 2014

10 Motivos para Votar no Futuro Deputado Estadual: Platiny Soares (PV) nº 43.190


Quando falamos em renovação política, tratamos deste tema com excelência, onde o jovem revolucionário Platiny Soares Lopes (PV) nº 43.190, candidato à deputado estadual no Amazonas em 2014, tem uma bagagem invejável e que preocupa seus adversários.

De acordo com algumas pesquisas de intenção de voto, Platiny Soares Lopes (PV) nº 43.190, possui grandes chances de ser eleito por sua categoria, que o tem como verdadeiro representante de classe, por ser corajoso e lutar por inúmeros benefícios para sua categoria.


Veja os 10 motivos que te levam a conhecer e votar em Platiny Soares Lopes (PV) nº 43.190 para Deputado Estadual no Amazonas:

1. É jovem, carismático, inteligente, sincero, destemido, honesto e corajoso.

2. Possui nível superior (Direito), conhece a legislação e os trâmites legais.

3. Esteve presente no seio da tropa da PMAM como praça e sabe das necessidades e anseios.

4. Lutou pelos direitos da categoria, até ser expulso da Corporação e reintegrado legalmente.

5. Possui em  sua campanha 18 (dezoito) propostas/projetos a serem efetivados na ALEAM.

6. A tropa de praças da PMAM e seus familiares confia e acredita no seu trabalho.

7. Liderou o movimento em prol da elaboração e aprovação da Lei de Carreira dos Praças juntamente com a APEAM.

8. É articulado, não pensa só em si, luta pela classe, conhece o caminho das pedras e onde deve-se chegar em acordos com o governo para conquistar benefícios.

9. Faz uma campanha limpa e pautada na honestidade e simplicidade, e será o verdadeiro representante dos praças da PMAM.

10. Sabemos que com Platiny Soares (PV) nº 43.190 eleito, nossos anseios e sonhos serão alcançados, chega de enganação.

Candidato à deputado estadual Platiny Soares Lopes (PV) nº 43.190, os Praças confiam em ti, depositaremos nossos desejos, queremos vê-lo na ALEAM para nos representar e levar nossa voz na conquista dos objetivos, conte conosco.

Fonte e Foto: Seção de Comunicação Blog do Leão 
Copyright © 2014 Blog do Leão