24 março 2009

Acidente com Vítima Fatal em Humaitá-Am !

A guarnição da (4ª CIPM) foi acionada via 190, por volta das 06h00min da manhã do dia 22/03/2009 (domingo) para atender a uma ocorrência de acidente de trânsito com vítima. A informação inicial recebida pelos policiais militares, relatava que um veículo em alta velocidade havia atropelado um transeunte (pedestre). A guarnição deslocou-se para o local para averiguar as informações recebidas e chegando ao local, deparou-se com uma cena trágica.


Tratava-se do corpo de uma mulher aparentemente já sem vida, jogado ao chão, com as pernas e braços (membros inferiores e superiores) fraturados, e sangramento dos ouvidoS. A vítima foi identificada como sendo Delva Botelho Rodrigues, 40 anos, residente do município de Apuí-AM. A principal testemunha do acidente trágico é o marido da vítima, Francisco Caetano dos Santos, que narrou com detalhes o ocorrido: Segundo a testemunha, sua esposa e ele caminhavam de mãos dadas pela Avenida Transamazônica e quando passavam na frente a loja “Logos Materiais de Construção”, foram surpreendidos por um veículo em alta velocidade e desgovernado que veio por trás de ambos, subiu à calçada e atropelou a sua esposa. Francisco disse: “Fiquei louco quando vi minha esposa voar, chegando a bater nos fios de telefone e cair em frente à antiga panificadora Minas Pão”.


O condutor do veículo Ford Fiesta, de cor azul, placa IMU-1836 do Rio Grande do Sul, foi identificado como sendo o Sargento do Exército Marcos Santos de Albuquerque, 33 anos, servindo atualmente no 54º BIS e que provavelmente estava a caminho do trabalho no momento do acidente. Segundo a PM, logo após o acidente, o Sargento Marcos apresentou-se voluntariamente no quartel da Polícia Militar narrando o acontecido e identificando-se como o condutor do veículo no momento da tragédia.


O mesmo foi apresentado da 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil e posteriormente liberado. De acordo com o Boletim Único de Ocorrência, o condutor do veículo não apresentava sintomas de embriaguez e possuía carta de habilitação e a documentação do veículo completamente regularizada. Cogita-se que o motivo do acidente seria a “pressa” de um possível atraso para chegar ao local de trabalho. O corpo da vítima foi levado a Manaus, com os custos do translado pagos pela Prefeitura Municipal de Humaitá (Secretaria de Ação Social).


Nota da Redação de “O Curumim”:
Estão se tornando comuns os acidentes de trânsito com vítimas fatais na cidade. Apesar dos esforços da Polícia Militar, estamos muito longe de cumprir o que determina o Código Brasileiro de Trânsito: A falta de habilitação, o consumo de bebidas alcoólicas, menores condutores, falta do uso do cinto de segurança e do capacete e o desrespeito a pouca sinalização de trânsito. Menos mal que neste caso, o condutor era habilitado, não havia consumido álcool e dignamente se apresentou como o condutor do veículo. Mas, e os outros casos? Alguém ainda se lembra do que aconteceu com a jovem Simone em outubro de 2008?


Fonte: Jornal “O Curumim” – Adaptado e Assessoria de Comunicação da PM de Humaitá-Am