06 junho 2009

Operação da Polícia Federal em Humaitá-Am

A Polícia Federal, com o apoio do Ministério Público Federal, deflagrou na manhã dessa sexta-feira (05) a Operação “NOME LIMPO”, que deu cumprimento a 02 Mandados de Busca e Apreensão e 01 de Prisão Preventiva, nas cidades de Humaitá-Am e Porto Velho-RO.
As investigações tiveram início no ano passado, quando se apurava a prática de contrabando de veículos adquiridos com restrição tributária (FINAN) do estado do Amazonas.

O mandado de prisão foi expedido em desfavor de Francinei Dantas Alecrim, que se utilizou de RG, CPF, CNH e Título de Eleitor falsos em nome de Franciney Dantas Alecrim, com o objetivo de praticar diversos crimes de falsidade, estelionato e contra o sistema financeiro nacional.

Francinei é bastante conhecido em Humaitá e figurinha carimbada na noite Humaitaense, principalmente nos campeonatos de “Som Automotivo”, um de seus passatempos favoritos. A prisão de Francinei foi efetivada em Porto Velho, onde o mesmo foi encontrado, em uma pousada da cidade.

Na ficha de Francinei e/ou Franciney, a Polícia Federal encontrou a emissão de mais de 50 cheques sem fundos, empréstimos fraudulentos, bens adquiridos de forma ilícita e registros de débitos perante os órgãos de proteção ao crédito, em valor superior a R$150.000,00 (cento e cinqüenta mil reais) somente na região de Porto Velho e Humaitá.

Francinei conseguiu ainda abrir contas correntes em todos os bancos existentes na praça em Porto Velho. O mesmo possui 02 (duas) identidades. A Polícia Federal apurou ainda que com a fraude, o verdadeiro Francinei tentava escapar das acusações de crimes de estelionato, falsidade ideológica e receptação, que já respondia em 02 inquéritos Policias na esfera estadual.

Durante as buscas, a Polícia Federal encontrou vários documentos e cartões de banco em nome de duas outras pessoas inexistentes, que se chamariam Frank Dantas Alecrim e Francinei Dantas Amor.

Polícia Federal em Humaitá-Am
Por volta das 05h dessa sexta-feira (05) policiais federais já cercavam a casa de Francinei para as 06h (horário permitido pela lei) cumprir o mandado de busca e apreensão. Os vizinhos ao sair para trabalhar se assustaram com a movimentação.

Os agentes levaram um veículo Honda Civic, que havia sido apreendido pela Polícia Militar (4ªCIPM), por se tratar de veículo roubado, clonado e que, segundo as investigações, fora adquirido por Francinei recentemente. Os policiais interrogaram ainda diversas pessoas ligadas ao sistema financeiro como gerentes de banco, órgãos de fiscalização tributária e outras testemunhas.

A PF mantém o máximo de sigilo e discrição sobre o andamento da Operação “Nome Limpo”, afim de não comprometer ações futuras. Não se sabe por quanto tempo a operação irá continuar na cidade. O investigado vai responder por diversos crimes, entre eles os de falsidade ideológica, uso de documento falso, estelionato qualificado em concurso material, e crimes contra o sistema financeiro nacional.

 
Fonte: Departamento de Polícia Federal-RO / Jornal O Curumim (adaptado por Blog do Leão)