08 novembro 2009

Incêndio provocado destrói duas casas e atinge outras duas


Tudo aconteceu na madrugada deste sábado (7) em uma pequena rua do bairro de São José. De acordo com moradores da redondeza, o ocorrido teve início quando um de seus vizinhos, tomado por uma intensa crise de ciúmes adentrou sua própria casa, atirou gasolina e ateou fogo sem avisos prévios às pessoas que estavam dentro, incluindo a própria esposa e filhos.

Considerando alguns populares e socorristas que atuaram na hora em que o fogo lavrava com intensidade, havia no interior das residências aproximadamente 12 pessoas. O alvo do atentado seria a casa do casal, porém, o fogo se alastrou muito rapidamente, atingindo mais três casas, sendo que uma dessas como a primeira foi totalmente destruída.

As outras 2 casas, graças a ajuda de residentes vizinhos que lutaram contra as chamas, foram atingidas apenas parcialmente.

Como na cidade não tem nenhum tipo de socorro institucional próprio para situações como esta (Corpo de Bombeiros), a ajuda imprescindível para o controle do fogo, foi realizada por um caminhão pipa pertencente ao 7º Batalhão de Engenharia de Construção (7º BEC), que com sua intervenção impediu que o incêndio atingisse outras casas vizinhas e acontece uma tragédia maior.

De acordo com um senhor de 87 anos, proprietário de uma das casas atingidas parcialmente, não houve feridos, porém, as famílias envolvidas, estão desabrigadas esperando ajuda do poder público que prometera se manifestar a partir da próxima segunda-feira.

Contudo, esperam-se duas atitudes dos poderes co-envolvidos: assistência e investigação do caso.

Do executivo, que de fato auxilie as vítimas desse episódio de forma imediata e do judiciário, que puna de fato o responsável por tamanha barbárie. Enfim, que todos os poderes se unam para que dentro da esfera de atribuições de cada um, possam munir os órgãos mediadores da máquina e população para que possam atender as necessidades do povo quando expostos à situações como a citada aqui.


Fonte: Jornal O Curumim (Romilson Azevedo)
Foto: PM de Humaitá-Am e Romilson Azevedo