21 outubro 2010

Filme Dia de Treinamento (Training Day)

Por Danillo Ferreira 

Dia de Treinamento (Training Day – 2001)  é um dos clássicos recentes do cinema policial. A história do filme mostra o primeiro dia de um novato na Divisão de Narcóticos do Los Angeles Police Department (LAPD), que é colocado para trabalhar com um companheiro envolvido com uma filosofia de trabalho muito peculiar. 

Para os espectadores mais desentendidos, Alonzo, o policial mais experiente, interpretado excelentemente por Denzel Washington, é apenas um policial “corrupto”. Mas é mais que isso. Dia de Treinamento não trata a corrupção policial de modo distante e impessoal. 

O filme traz o público para as engrenagens que convencem o policial, individualmente, a se corromper. O jovem policial, no afã de se tornar um destacado agente da “narcóticos”, com todo o mito que pertencer à unidade traz, acaba abrindo mão de algumas concepções pessoais, morais e éticas em prol deste objetivo.

Dois discursos influenciam bastante o jovem Jake Hoyt (Ethan Hawke), ambos utilizados por Alonzo, policial que alega ter feito muitas prisões e ser muito condecorado por sua corporação: “Para chegar aos fins, os meios são justificáveis. Sacrifiquemos os lobos para poupar as ovelhas” e “A academia não ensina nada. A rua é a realidade, tudo o mais é descartável”.

Os discursos utilizados, que não são tão raros na realidade das polícias, são perfeitos para hospedar justificativas para as práticas ilegais, ilegítimas e perversas no âmbito policial. Ser espectador e comentar o filme é fácil, mas só de imaginar passar por algumas tensões que o novinho passou é de arrepiar. Eis a importância do vigor moral do policial nesses momentos.

Já ouvi muitas pessoas dizendo que na polícia é preciso haver uma parte “cidadã” e outra para fazer o “papel sujo”. O filme sugere que a divisão de narcóticos da LAPD fica com essa segunda missão. 

Mas, como tudo que promove sujeira, a unidade acaba se sujando. Aqui há outro toque na realidade, pois unidades policiais que se sustentam em práticas perversas para desenvolver um trabalho aparentemente nobre, acabam dando guarida àqueles que se aproveitarão das práticas para seus objetivos pessoais escusos. No fim, são apenas lobos sacrificando lobos, para disputar as ovelhas.