21 novembro 2010

PM apreende 55 quilos de cocaína em Humaitá-AM

O transporte da droga foi interceptado no quilômetro 85 da BR 230 Transamazônica no sentido Humaitá/Apuí por volta das 14 horas do dia 17 de Novembro (quarta-feira). Militares do Exército que passavam em comboio pela região perceberam atitude suspeita de dois indivíduos que ao ver a movimentação dos veículos verdes, deixaram uma caminhonete Fiat Strada placa NUV-7514 de Maracanaú/Ceará de cor cinza e correram desesperadamente em direção à mata.

Imediatamente os militares federais acionaram a Polícia Militar da 4ª CIPM da cidade de Humaitá, que por volta das 14 horas chegaram ao local e após realizar buscas na região capturaram Francisco Emanuel da Rocha Souza, 27 anos. Na presença do acusado, vistoriaram o veículo e encontraram dentro de um fundo falso feito na carroceria da caminhonete uma quantidade considerável de entorpecentes, supostamente “cocaína pura”.

De acordo com o Boletim Único de Ocorrência (BOU) foram apreendidos 55,590 kg de entorpecentes divididos em 51 tabletes, que segundo a polícia seguia destino para mais de um comprador. Além da droga, encontrava-se com o acusado uma Carteira de Habilitação Nacional em seu nome, um porta documentos constando um comprovante de depósito no valor de 40 mil e 500 reais (provavelmente pagamento pelo transporte da droga) e a documentação do veículo, esta em nome de outra pessoa.

Humaitá na rota do narcotráfico
A rodovia Transamazônica é identificada pela Polícia Federal como rota alternativa dos cartéis para o tráfico da cocaína na região. A apreensão realizada pelos Militares da 4ª Companhia Independente de Polícia Militar da Cidade de Humaitá/AM confirma que toneladas de entorpecentes passam pela rodovia, e que a cidade de Humaitá configura como o mais novo ponto de partida para o transporte de drogas para as regiões Norte e Nordeste.

De acordo com PM de Humaitá a droga interceptada no último dia 17, possivelmente teve o transporte iniciado na Bolívia com passagem por Guajará-Mirim e Porto Velho, cidade do estado de Rondônia. No momento da apreensão já havia ultrapassado 85 quilômetros do centro urbano da cidade de Humaitá, e ainda passaria por Apuí/AM, Jacareacanga (Pará), pelo estado do Maranhão até chegar ao Ceará, onde a droga deveria ser entregue.

Conforme um policial militar que há alguns anos vem participando de operações de combate ao tráfico na região, a droga avaliada em cerca de 1 milhão de reais saiu da Bolívia valendo em torno de 2.500 reais por quilo. Ao entrar no Brasil o preço pula para 15 mil reais, podendo no ato da entrega valer 25 mil reais por cada quilo. O mesmo ressaltou que toda a droga apreendida poderia ter sua quantidade triplicada, o que ocasionaria lucros absurdos para os traficantes.

Por que Humaitá?
Com a fiscalização mais efetiva sobre as rotas mais utilizadas pelos traficantes, os cartéis tentam se sobressaírem diante da vigilância, e busca rotas alternativas para tentar despistar ação da polícia e concluir transações milionárias. Além de está em meio a selva, o que dificulta a vigilância, o município de Humaitá encontra-se no trevo rodoviário que liga as rodovias 319 e 230 – Transamazônica, não tem atividade no posto da Polícia Rodoviária Federal a quase 5 anos, tem pouco efetivo na Polícia Civil e Militar, com a agravante de atender às demandas dos municípios vizinhos.

Fonte: Assessoria da 4ª CIPM e Jornal O Curumim