07 agosto 2011

Diretor facilita entrada de drogas e celulares no presídio de Humaitá-AM

Por Blog do Cabo Maciel

Cabo Maciel já pediu a retirada dos Policiais Militares do Presídio de Humaitá-AM devido a falta de condições para os PMs trabalhar

Cabo Maciel já denunciou o problema

O presidente da Comissão Permanente de Segurança Pública da Assembléia Legislativa do Amazonas (ALEAM), deputado Cabo Maciel (PR), mostrando-se bastante indignado denunciou a entrada de celulares, bebidas alcoolicas e entorpecentes na Unidade Prisional de Humaitá (UPH) “João Lucena Leite”, distante a (640 Km de Manaus). 

A droga está sendo arremessada através dos muros laterais. O fato foi levado ao conhecimento do diretor da UPH Epitásio Siqueira de Paiva através do Capitão PM J. Antonio, comandante da 4ª CIPM/Humaitá-AM após revista surpresa feita naquela casa de detenção, que constatou através de apreensão de vários materiais ilícitos.
 
Detentos perigosos circulam livremente

O mais grave – disse Cabo Maciel – é que o diretor Epitásio Siqueira de Paiva, proibiu que a Polícia Militar adentre nas alas/pavilhões do Presídio, ficando restrito apenas a uma sala na entrada do prédio, o que impossibilitou fiscalização nos locais possíveis devido a escuridão reinante na área por onde jogam o material ilícito.



A escuridão à noite facilita a ação dos bandidos


Os traficantes através de outros apenados de alta periculosidade que ficam soltos no interior daquela unidade sentindo-se fortalecidos pela proibição imposta pelo diretor da UPH passaram a dominar os mais fracos e ameaçar de morte os Policiais Militares.

Existem apenas três (3) agentes penitenciários pertencentes a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) para trabalhares no local, número insuficiente devido o cumprimento de escala, que tem facilitado a ação dos traficantes dentro do presídio que agora vive com as portas das celas abertas", concluiu Cabo Maciel.

Fonte e Foto: Blog do Cabo Maciel