10 fevereiro 2012

Governador do Amazonas Adota Medida Preventiva para Evitar Greve da Polícia no Estado

Por Ana Carolina, Lúcio Pinheiro, Maria Derzi
Os candidatos aprovados no concurso da Polícia Militar para o cadastro reserva também estiveram nesta terça-feira (7), na galeria da Casa Legislativa requerendo nova chamada para o concurso
Os candidatos aprovados no concurso da Polícia Militar do Amazonas 2011, classificados no cadastro de reserva também estiveram nesta terça-feira (7), na galeria da Casa Legislativa requerendo nova chamada para o concurso. (Luiz Vasconcelos)

Temendo que a Polícia Militar do Amazonas adote a mesma postura das Corporações do Rio de Janeiro e da Bahia, as quais estão em greve por melhorias salariais, o governador do Amazonas, Omar Aziz (PSD) se reuniu, na tarde desta sexta-feira (10/02), na Sede do Governo do Estado (avenida Brasil, Compensa II, Zona Oeste de Manaus), com o comandante Geral da Polícia Militar (PM), coronel Almir David, o delegado-geral da Polícia Civil, Mário Cesar Nunes, e membros de entidades representativas das duas categorias e do Corpo de Bombeiros, para apresentar uma proposta de Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) que os contemple.

A medida preventiva foi divulgada pelo próprio governador, em evento ocorrido na manhã desta sexta-feira (10/02), também na sede governamental, na qual foi anunciada a liberação de R$ 4 milhões aos municípios do interior do Amazonas para serem aplicados na geração de emprego e renda nas localidades.

Omar Aziz, explicou que caso aprovada a Lei de Subsídio da PMAM, a proposta será encaminhada já na próxima semana à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) para votação. “Espero que a gente tenha uma solução. Eu acredito que não teremos problema, porque é de interesse de todos que não tenhamos nenhum tipo de confronto, pois só quem perde (com isso) é a sociedade”, disse o governador.

Greve em 2011

Ele relembrou o movimento deflagrado por entidades de classe, em 2011, cuja principal reivindicação foi a criação da Classe Especial para delegado e o escalonamento de 10% na remuneração das classes policiais. A diferença de vencimento chegava a quase 70%. Atualmente, investigadores de primeira classe recebem R$ 3,4 mil, por exemplo. Já os mesmos profissionais da categoria especial recebem R$ 5,8 mil. Ambos desempenham a mesma função.

A greve da Polícia Civil terminou com a promessa do Estado em apresentar uma proposta que contemplasse a categoria. No último dia (07/02), o deputado Cabo Maciel (PR), adiantou em reunião com representantes das Polícias do Amazonas, na Aleam, que os PCCSs das polícias Civil e Militar do Amazonas estavam sendo ajustados pelo Governo do Estado. Na ocasião, eles levaram faixas solicitando.

Resultado

Durante a reunião, foi descartada qualquer possibilidade de greve. Na próxima segunda-feira (13.02), os membros das polícias e entidades de classe se reunirão com secretário Isper Abrahim, titular da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), para discutir fatores relacionados à Lei de Responsabilidade Fiscal, e definir o valor que poderá ser concedido de aumento. Na quarta, eles retornam com Omar para finalizar a proposta que seguirá à Aleam.

Fonte e Foto: A Crítica