06 fevereiro 2012

Militares se reunem com Comissão do Governo do Amazonas para renegociar a Lei de Subsídios da PMAM

As seguidas greves de policiais militares que estão “pipocando” em diversos estados brasileiros, pode ter motivado os militares amazonenses a demonstrar sua insatisfação com o baixo salário pago pelo governo. A Associação dos Cabos e Soldados possui hoje, mais de 4 mil sócios.



Dep. destaca a boa vontade do governador
em conversar com os militares
A demora por parte da Comissão de Negociação nomeada pelo Governo para apresentar uma resposta aos presidentes das Entidades de Classe dos Policiais e Bombeiros Militares sobre a Lei de Subsídio deixou o clima tenso na tarde de ontem, (05) na sede do Clube dos Cabos, Soldados e Bombeiros Militares do Amazonas (ACSBMAM). 


No desabafo, ao se pronunciarem eles deixaram claro que estão cansados de trabalhar sob promessas das mais diversas, inclusive lembraram o 14º. Salário, quando na verdade eles não vêem recebendo nem fardamento e na maioria das vezes são obrigados a empurrar viaturas velhas e com pneus “carecas”. O clima de revolta demonstrado ontem, por alguns militares deixou claro que o Programa “Ronda nos Bairros” do governador Omar Aziz poderá ser prejudicado.


Participaram do encontro com os policiais descontentes o presidente do Clube, Deputado; presidente do Clube dos Oficiais, Cel. Fábio Pacheco e o Presidente da Associação dos Sargentos, Sub-Tenentes e Bombeiros Militares do Amazonas, Francisco Pereira da Silva “Pereirinha”.


Cel. Pacheco diz que oficialato está
insatisfeito
Lembraram os associados do Clube dos Cabos e Soldados que a Comissão de Negociação nomeada pelo governador Omar Aziz vem “dando barrigada”, antes do Natal do ano passado, remarcando por diversas vezes a reunião, mas já está chegando o Carnaval e não se tem uma resposta, disseram.


Pereirinha fala da negociação que o
Dep. vem fazendo

Depois do encontro da Comissão do Governo com os presidentes das entidades militares que foi marcada para esta segunda-feira dia (06), os líderes do movimento irão convocar uma Assembleia Geral para apresentar aprovação do percentual a ser oferecido pelo governo para a categoria.

Fonte e Foto: Blog do Deputado